Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva Adulto

PÚBLICO ALVO


Graduados no curso de Enfermagem

 

PREVISÃO DE INÍCIO

Inscrições abertas

Primeira quinzena de Março e Segunda Quinzena de Agosto.

 

LOCAL DAS AULAS

FIO – Faculdades Integradas de Ourinhos/SP.

 

DIAS E HORÁRIOS DAS AULAS

Sábados (8:00 às 13:00 e 14:00 às 19:00), em média dois encontros quinzenais, respeitando-se os períodos de férias letivas.

 

DURAÇÃO

18 meses e 03 meses para elaboração da monografia.

 

CARGA HORÁRIA

400 horas e 03 meses para elaboração da monografia.

Obs.: Os cursos de pós-graduação poderão contar com atividades disponibilizadas de modo semipresencial em até 20% da carga horária das disciplinas, possibilitando um atendimento personalizado ao aluno, por intermédio de modernas tecnologias de informação e comunicação. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: portaria MEC nº 4059 de 10 de dezembro de 2004 e decreto nº 5622 de 19 de dezembro de 2005.

 

FREQUÊNCIA E REGIME DE APROVAÇÃO

Conforme a Resolução nº 01/2007 do CNE/CES, para ser aprovado no curso, o aluno deverá obter, em cada disciplina, frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) e nota mínima de 7,0 (sete), inclusive na Monografia. As monografias serão defendidas pelo aluno e avaliadas por Banca Examinadora. Os Certificados de Especialização serão emitidos pelas FIO - Faculdades Integradas de Ourinhos, autorizada pela LDBEN nº 9394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional).

 

NÚMERO DE VAGAS

Será necessário o número mínimo de 30 (trinta) alunos matriculados por curso para que seja confirmada a data de início das aulas. Se algum curso não preencher esse número mínimo de vagas, serão devolvidos aos inscritos os documentos.

 

VALOR DA INSCRIÇÃO

Isento

 

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA MATRÍCULA

  1. Uma Fotocópia do RG e do CPF*

  1. Uma Fotocópia da Certidão de Nascimento ou Casamento*

  1. Uma Fotocópia do Diploma de Graduação (frente e verso)

  1. Uma Fotocópia do Histórico da Graduação

  1. Duas Fotos 3x4 recente (Originais não pode ser digitalizadas)

  1. Uma Fotocópia do Comprovante de Residência*

  1. Currículo*

  1. Contrato Assinado (3 vias impressas assinadas).

 

COORDENAÇÃO

Prof. Me. Juliano Rodrigues Coimbra

 

CORPO DOCENTE

Mestres e Doutores altamente qualificados.

 

DISCIPLINAS E EMENTAS

DISFUNÇÕES CARDIOVASCULARES, NEUROLÓGICAS E ENDÓCRINAS

Principais doenças cardiovasculares, as principais causas, sinais e sintomas e intervenções de enfermagem: aterosclerose, anginas, infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca, choque, insuficiência arterial, doenças das válvulas cardíacas, hipertensão arterial, entre outras.Distúrbios Neurológicos AVCH e AVCI. Distúrbios Endócrinos Diabetes mélitus, Hipertireoidismo e Hipotireoidismo

 

GESTÃO DE BIOSSEGURANÇA EM UTI

Introdução; Biossegurança; Definição; Princípios de biossegurança; Classificação dos

riscos; Manuais de segurança; Procedimento Operacional Padrão (POP); Equipamentos de Proteção; EPI; EPC; Gerenciamento De Resíduos E Material Biológico; Organização da Unidade de Terapia Intensiva; Seleção do paciente – critérios para admissão e alta; Procedimento e registro de rotinas – aspectos operacionais; Visitas; Práticas alimentares; Uso de roupas privativas; Layout E Equipamentos; Planta física; Localização; Número de leitos; Forma da unidade; Elementos da unidade; Equipamentos. 

 

GESTÃO DA ENFERMAGEM EM UTI

Introdução; A Gestão Da Qualidade No Contexto Da Saúde; Definição e conceitos;

Evolução da qualidade em saúde; Elementos para qualidade na saúde e na enfermagem;

Indicadores de qualidade; Formas de avaliação; Certificação e acreditação; Auditoria em Enfermagem; Definição de auditoria; Evolução da auditoria em saúde; Auditoria em saúde; Tipos de auditoria em saúde; Auditoria de enfermagem no hospital; O prontuário e as anotações; Glosas hospitalares; Gestão Da Enfermagem; Diretrizes; Satisfação da enfermagem; Competências para atuar em UTI.

 

VENTILAÇÃO MECÂNICA E INTERPRETAÇÃO RADIOLÓGICA PARA ENFERMEIROS

Estudo da fisiologia do sistema respiratório e a aplicação das modalidades de ventilação mecânica em adultos. Identificação dos exames radiológicos de maior frequência na unidade de terapia intensiva, suas indicações, limitações e complicações com análise e interpretação dos resultados.

 

CONTROLE DE INFECÇÃO EM UTI

Introdução; Infecções Hospitalares; História Das Infecções Hospitalares; Definição; Fatores De Risco Para Infecções Hospitalares; Cateterização vesical; Ventilação invasiva; Cateterização venosa central; Patógenos; O Controle Das Infecções; A Comissão de Prevenção de Infecção Hospitalar (CCIH); Controle bacteriológico na UTI; O Papel Do Enfermeiro Na Prevenção De Infecções Na UTI; Glossário Básico; Classificação Das Infecções Segundo o CDC.

 

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM SITUAÇÃO CRÍTICA 

Introdução; Insuficiência Renal Aguda – IRA; A dinâmica da IRA; Causas e sinais clínicos da IRA; A assistência da enfermagem diante as condutas da IRA; Balanço calórico; Balanços hídrico e eletrolítico; Hiperpotassemia; Diálise peritoneal; Hemodiálise; Terapia de Contínua Substituição Renal (CRRT); Intervenções de enfermagem segundo NIC para a prevenção e diagnóstico precoce da IRA em UTI relacionado à sepsis, ao choque séptico e relacionado a doenças cardiovasculares e respiratórias; Insuficiência Respiratória; A assistência de enfermagem; Parada Cardiorrespiratória; O transplantado hepático; Evolução e cuidados nos transplantes de fígado; O pós-operatório e a UTI; A questão da infecção na UTI e o transplantado hepático; Cuidados Paliativos; Conceitos e definições; Surgimento e evolução dos cuidados paliativos; Os cuidados paliativos, as UTIs e os profissionais envolvidos.

 

FARMACOLOGIA APLICADA A EMERGÊNCIA EM UTI

Estudo dos processos farmacológicos (farmacocinética e farmacodinâmicos) das drogas

rotineiramente utilizadas em unidades de terapia intensiva. 

 

ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR, TRANSPORTE E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO

O Atendimento Pré-Hospitalar (APH); O atendimento inicial; Escala de trauma; Recursos utilizados; Recursos materiais – classificação; Recursos pessoais; Suporte Básico De Vida (SBV); Conceito e definições; Elos da cadeia de sobrevivência; Prevenção; Reconhecimento Imediato da Parada Cardiopulmonar (RCP); Acesso rápido ao SAMU ou similar; Suporte avançado de vida eficaz; Cuidados pós-parada cardiorrespiratória integrada; Avaliação das vias aéreas; Suporte Avançado De Vida (SAV); Conceitos e definições; A gravidade da Parada Cardiorrespiratória (PCR); Assistolia; Atividade Elétrica sem Pulso (AESP); O Transporte de Pacientes; Organização do transporte; Prevenção de complicações durante o transporte; O Perfil do Enfermeiro para Atendimento em Rodovias e Resoluções Afins; Acolhimento e Classificação de Risco nos Serviços De Urgência E Emergência.

 

NUTRIÇÃO EM UTI, AVALIAÇÃO NUTRICIONAL E USO DE NUTRIÇÃO ENTERAL E PARENTERAL

Dietoterapia nas doenças crónicas não transmissíveis. Nutrição e Dietética especial conforme enfermidade. Nutrição enteral e parenteral. Doenças Nutricionais: Síndrome Metabólica e Distúrbios Endócrinos. Obesidade.

 

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA

Pesquisa científica. Estrutura de trabalhos científicos. As etapas de um trabalho de pesquisa. Pesquisa quantitativa e pesquisa qualitativa. Análise e desenvolvimento do projeto de pesquisa. Normas de apresentação de comunicações técnicas e científicas. Elaboração do projeto da monografia.

 

botao inscrio

FIO – FACULDADES INTEGRADAS DE OURINHOS/SP

Rodovia BR153 Km 338,42

Bairro Água do Cateto

Fone: (14) 3302-6405 

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.